terça-feira, 22 de agosto de 2017

Ninho de Andorinha-dáurica / Red-rumped Swallow (Cecropis daurica) em Cascais



Foi a primeira vez que observei a nidificação da Andorinha-dáurica (Cecropis daurica) em Cascais, já observei juvenis como se pode observar na mensagem da semana passada https://birdingcascais.blogspot.pt/2017/08/andorinha-daurica-red-rumped-swallow.html
O ninho é bem diferente das outras espécies de andorinhas que nos visitam, e esta espécie escolheu um local mais isolado e neste caso só observei este ninho.
O que me chamou a atenção foi que o ninho ainda está ativo em meados de Agosto, penso que nesta fase as crias já deveriam estar fora do ninho e a preparar-se para a migração para Sul, para passar o inverno, esta situação talvez seja um sinal das alterações climáticas, pois deve ter chegado mais tarde e iniciado a reprodução mais tarde também, mas isto é só uma hipótese, pois a minha experiência com esta espécie é muito pouca.

Plástico e outros resíduos na Serra de Sintra.

(Fonte: Flyer da Fundação Oceano Azul)
No passado Sábado quando passava pela estrada da serra chamou-me a atenção o plástico e outros resíduos que ainda são deixados na beira da estrada, já não são tantos como acontecia no passado mas ainda acontece nos nossos dias apesar de tantas campanhas sobre esta temática que tanto danifica o meio ambiente e a biodiversidade. 
Estes resíduos como estão próximos de uma linha de água, o mais certo é irem parar ao mar, mas estas pessoas não conseguem pensar desta forma, por isso é que faz cada vez mais sentido a educação ambiental desde a escola primária, educar os jovens e também sensibilizar os adultos para a educação para a sustentabilidade, pois o planeta terra está numa fase de mudança acelerada pela ação do ser humano com a questão das alterações climáticas.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Taralhão-cinzento / Spotted Flycatcher (Muscicapa striata) em Cascais.

Esta ave migradora de passagem Taralhão-cinzento (Muscicapa striata) apareceu na zona do pinhal da Quintas Patinhas perto de Murches.
Observei só um indivíduo a tentar apanhar insetos, saindo do lugar onde estava pousado e depões de apanhar a presa regressa ao mesmo local e assim sucessivamente até que muda de local.
Mais informação sobre esta espécie aqui: http://www.avesdeportugal.info/musstr.html e aqui: http://chegadas.avesdeportugal.info/cheg-musstr.html

Picanço-barreteiro / Woodchat Shrike (Lanius senator) em Cascais.

Foi a primeira vez que observei esta espécie Picanço-barreteiro (Lanius senator) nesta zona da Quinta Patinhas, próximo de Murches, as fotografias não são as melhores a ave estava longe e não permitiu grandes aproximações, desaparecendo por entre o pinhal.
Esta espécie sendo migradora de passagem por esta zona, também o observei na sua passagem para Norte em Abril https://birdingcascais.blogspot.pt/2017/04/picanco-barreteiro-woodchat-shrike.html .
Mais informação sobre esta espécie aqui:http://www.avesdeportugal.info/lansen.html



domingo, 20 de agosto de 2017

Andorinha-dáurica / Red-rumped Swallow (Cecropis daurica) no Bairro do Rosário.

Esta semana apareceram mesmo na rua onde eu moro quatro indivíduos de Andorinha-dáurica (Cecropis daurica), eram três juvenis e um adulto que deve ser um dos progenitores, vieram com muita energia e com muitas vocalizações, pousaram durante uns segundos e seguiram viagem.
Esta andorinha embora pouco conhecida do cidadão comum é uma das mais bonitas que nos visita na Primavera para nidificar, e que por sinal também nidifica no centro de Cascais.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

O que não acaba no lixo acaba no mar | Gelado



Uma campanha muito interessante pois é necessário sensibilizar o ser humano
para a problemática do lixo no mar, que na realidade começa em terra.

A Nogueira (Juglans regia L.) já com as nozes no centro de Cascais.

Ao passar junto à ribeira dos Mochos chamou-me à atenção uma Nogueira (Juglans regia) já com o fruto bem desenvolvido que é a noz que está protegida por uma casca verde, que mais tarde sai quando o fruto estiver maduro pronto a colher e a comer.
Esta árvore lembra-me a minha juventude quando depões das aulas da escola primária eu e os meu companheiros passávamos por um local onde existiam nogueiras para as apanhar e comer no local.

"Habitat e ecologia: terrenos húmidos e profundos, desenvolvendo-se bem nos calcários, mas suportando também os siliciosos. Dá-se bem até aos 800m, podendo mesmo chegar aos 1500m. Espécie de média luz. Necessita humidade mas sem encharcar; rega moderada a abundante. Suporta grandes variações de temperatura (até -20ºC), mas é sensível às geadas tardias. A árvore produz químicos que, arrastados para o solo pela chuva, inibem o crescimento de outras plantas debaixo da sua copa, nomeadamente macieiras, membros da família Ericaceae, batatas, tomates. Resumindo, não é a melhor árvore de companhia." Fonte : (http://www.florestar.net/nogueira/nogueira.html)